segunda-feira, novembro 10, 2008

Ídolos - infância

O primeiro homem desconhecido que adorei era gordo, tinha barbas e óculos e idade para ser meu pai. Edipiana me confesso, mas não foi pela aparência que ele me conquistou, entranhou-me pelos ouvidos.

As letras que ele imaginava e as música que compunha para as acompanhar faziam-me ficar em silêncio durante horas, e ouvi-las vezes sem conta. Tinha a certeza (ainda tenho, no fundo) que algumas foram escritas só para mim, que mas dedicava num segredo que era nosso e que guardava à vista de todos.

Para além dos LP e dos singles, obriguei o meu pai a repetir um espectáculo teatral ad nausea para ouvir as suas palavras.

A minha maior alegria ao ter-me licenciado não foi ter acabado essa parte do percurso de vida, ou começar finalmente a ser paga pelo que fazia. Foi ter a sua assinatura no meu diploma, fiquei durante horas a contemplá-lo numa alegria infantil e interior.

Das vezes em que me cruzei com ele na vida real fui sempre incapaz de proferir uma palavra, ficando em muda e queda admiração da criatura como quando vi pela primeira vez o David Bowie ou o Prince ou o Sting... que digo? Mais, muito mais.

Não há amor como o primeiro. Lembro-me do natal em que recebi o LP do macaco zacarias, aos pulos e gritos na cama dos meus pais, "vejam vejam, o que o pai natal me trouxe! Como é que ele soube que era mesmo isto que eu queria?"
















O meu primeiro amor foi o José Barata Moura

12 comentários:

Manyfaces disse...

O meu top-3 do genial JBM:

1. A História Do Papagaio Caio, Da D. Vicência Sampaio E Da Amiga Dona Carlota Bexiga.

2. A Pouco Exemplar Familia Dos Tortugas

3. O Galo Badalo, A Galinha Balbina, O Pinto Jacinto E Perú Glu-Glu


Obra completa aqui:
http://www.cdgo.com/artigoDetalhe.php?idArtigo=3039837

Joana Lopes disse...

Que engraçado: o Barata Moura foi da primeira turma de alunos que tive na Faculdade de Letras. Com 17 ou 18 anos, impecável, super-inteligente, uma simpatia para tudo e para todos. Ficou assim durante toda a vida.

picuinhas disse...

Ja lhe enviaste isto que escreves?

D. Ester disse...

manyfaces, já está na minha wish list para os anos ou natal. o meu top tem obrigatoriamente o fungagá, olha a bola manel e o joana come a papa.

Oh Joana, que maravilha me conta. Os bons espíritos encontram-se sempre.

Picuinhas, nunca me ocorreria tal coisa. Penso que ele sabe da horda de fãs que deixou na minha/nossa geração.

picuinhas disse...

so what?

D. Ester disse...

precisamente. o amor é meu, platónico. pertence-me.

O Tratador disse...

Engraçado, só depois de ser pai é que soube quem era. Conhecia todas na minha altura mas não quem era o seu autor. Agora está "On repeat" no carro sempre que a M. está comigo.

Lince disse...

O Fungaga da Bicharada Rullezzzz!!!!
O olha bola manel, e muito triste... a Joana papa a papa, ainda agora fica no ouvido.

Eu acho que o Sr. Barata Moura ficaria muito agradado ao saber que a D. Ester tem por ele uma grande estima, mas contra o piquinhas, terei de dizer, que a D. Ester, tem razao, os amores, platonicos, ou nao, pertencem-nos... e os secretos como estes, nao sao para enviar por mail.

Bjs
L.

picuinhas disse...

Talvez tenhas razao lince. Pero, "secreto" nao pode ser. Pelo menos nao *já*... ;-) Por isso achei que o mail vinha como consequencia natural, caso a amante estivesse de acordo. Não está, o que resolve o assunto em definitivo.

picuinhas disse...

errata ao post acima:
nao <-> *ja* (trocar ordem)

Hugo Besteiro disse...

Algo que o BM podia ter feito... o «Operários do Natal»!

a ouvir aqui..
http://operariosdonatal.com.sapo.pt/menu.html

D. Ester disse...

sou fã, grande disco. já conhecia o link, irei em breve destacá-lo, obrigada!